MENU

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Nota da CNBB: "Ouvir o clamor que vem das ruas"

Brasília (RV) - Os bispos manifestam "solidariedade e apoio às manifestações, desde que pacíficas, que têm levado às ruas gente de todas as idades, sobretudo os jovens".
A Presidência da CNBB apresentou a Nota em entrevista coletiva e o documento foi aprovado na reunião do Conselho Permanente concluída na manhã desta sexta-feira, 21 de junho.

Leia a Nota:

Ouvir o clamor que vem das ruas.

Nós, bispos do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunidos em Brasília de 19 a 21 de junho, declaramos nossa solidariedade e apoio às manifestações, desde que pacíficas, que têm levado às ruas gente de todas as idades, sobretudo os jovens. Trata-se de um fenômeno que envolve o povo brasileiro e o desperta para uma nova consciência. Requerem atenção e discernimento a fim de que se identifiquem seus valores e limites, sempre em vista à construção da sociedade justa e fraterna que almejamos.

Nascidas de maneira livre e espontânea a partir das redes sociais, as mobilizações questionam a todos nós e atestam que não é possível mais viver num país com tanta desigualdade. Sustentam-se na justa e necessária reivindicação de políticas públicas para todos. Gritam contra a corrupção, a impunidade e a falta de transparência na gestão pública. Denunciam a violência contra a juventude. São, ao mesmo tempo, testemunho de que a solução dos problemas por que passa o povo brasileiro só será possível com participação de todos. Fazem, assim, renascer a esperança quando gritam: "O Gigante acordou!"

Numa sociedade em que as pessoas têm o seu direito negado sobre a condução da própria vida, a presença do povo nas ruas testemunha que é na prática de valores como a solidariedade e o serviço gratuito ao outro que encontramos o sentido do existir. A indiferença e o conformismo levam as pessoas, especialmente os jovens, a desistirem da vida e se constituem em obstáculo à transformação das estruturas que ferem de morte a dignidade humana. As manifestações destes dias mostram que os brasileiros não estão dormindo em "berço esplêndido".

O direito democrático a manifestações como estas deve ser sempre garantido pelo Estado. De todos espera-se o respeito à paz e à ordem. Nada justifica a violência, a destruição do patrimônio público e privado, o desrespeito e a agressão a pessoas e instituições, o cerceamento à liberdade de ir e vir, de pensar e agir diferente, que devem ser repudiados com veemência. Quando isso ocorre, negam-se os valores inerentes às manifestações, instalando-se uma incoerência corrosiva que leva ao descrédito.

Sejam estas manifestações fortalecimento da participação popular nos destinos de nosso país e prenúncio de novos tempos para todos. Que o clamor do povo seja ouvido!

Sobre todos invocamos a proteção de Nossa Senhora Aparecida e a bênção de Deus, que é justo e santo.

Brasília, 21 de junho de 2013

Cardeal Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida
Presidente da CNBB

Dom José Belisário da Silva
Arcebispo de São Luís
Vice-presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário Geral da CNBB




Texto proveniente da página  do site da Rádio Vaticano
 

 

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Papa Francisco na audiência geral

Missa na Casa Santa Marta: superar a hipocrisia na Igreja


Cidade do Vaticano (RV) – Como todas as manhãs, o Santo Padre celebrou Missa na Capela de Santa Marta, no Vaticano, da qual participaram, entre outros, o Cardeal Marc Ouellet, o arcebispo Dom Lorenzo Baldisseri, respectivamente Prefeito e Secretário da Congregação para os Bispos, acompanhados por Dom Vincenzo Paglia, Presidente do Pontifício Conselho para a Família, e funcionários do mesmo organismo vaticano.
Papa Francisco meditou, com os presentes, sobre “os protagonistas do Evangelho de hoje: os escribas e fariseus, hipócritas que levam o povo de Deus a um beco sem saída”. O cristianismo, explicou, não deve ser uma mera casuística de preceitos, que impede a compreensão de que Deus é alegria e generosidade.
Mas, no Evangelho de hoje, observa o Papa, o Senhor fala também de outra classe de hipócritas: “O Senhor fala de jejum, oração e esmola: três pilares da piedade cristã, da conversão interior, que a Igreja nos propõe, sobretudo na Quaresma. Aqui também aparecem certos hipócritas, que querem apenas se aparecer. Pensemos à hipocrisia na Igreja, que causam tanto mal. Porém, podemos dispor da graça que vem de Cristo: a graça da alegria, da generosidade, da grandeza de filhos de Deus”.

Texto proveniente da página do site da Rádio Vaticano

SEMANA MISSIONÁRIA

Os objetivos da Semana Missionária entre outros é o acolhimento o desejo de preparar as Dioceses brasileiras para a JMJ mobilizando todo o país a entrar no tema proposto para a Jornada: Missão.
Em todas as Paróquias do Brasil e, em nossa Diocese de Ituiutaba a Semana Missionária acontecerá no período de 16 a 20 de julho com proposta para a programação que poderá contar com momentos de oração celebração penitencial divulgação do evento, com Missa de abertura, visitas missionárias, atividades culturais, adoração Eucarística, festa da juventude lazer e concluindo com a Missa de Envio na comunidade, no dia 20 de julho.
As Paróquias deverão dar todo o apoio aos jovens, diante da proposta de missionariedade, por isso é importante o envolvimento de todas as forças locais, jovens a adultos para que a realização da Semana Missionária obtenha o objetivo esperado que é despertar o espírito missionário, em especial entre a Juventude.

Dom Francisco Carlos da Silva
Bispo Diocesano

AGENDA - Atividades do Bispo - mês de Maio

Encontro com coordenadores Diocesanos-ECC (03), Apostolado da Oração-Missa na Catedral (03), Almoço com membros da Comunidade Vida Missão (05), Celebração de Exéquias da Irmã Simone Barros (Itápolis-SP, 07), Comissão de leigos (13), Legitimação Matrimonial na Catedral (15), Visita a duas Paróquias (17), Missa na Comunidade Canaã-em casa (18), Reflexão sobre Pentecostes na Paróquia Nª Sª das Dôres (19), Mensagem por ocasião de Pentecostes no Salão Paroquial João Paulo II-Catedral (19), Encaminhamento dos Relatórios Anuais a Nunciatura Apostólica no Brasil (22), Reunião pré-CODIPA com Pe. Simeão Coordenador Diocesano de Pastoral (22), Coordenadora da Pastoral do Migrante (23), Visita ao Convento (23) Celebração no convento: 60 anos e 25 anos de votos perpétuos das Irmãs Maria José e Eloisa (24), Celebração dos 40 anos de casamento de um casal amigo em Itápolis-SP (24) e confraternização com um casal comemorando 50 anos de casamento, a Dª Justa, visita pelos seus 100 anos de idade em Borborema-SP (26) e também visita à mãe Borboremense-2013 representantes do Cursilho (29), Tv Vitoriosa-sbt (29 12h30) e Tv Integração-Globo (29 18h30), novamente a Tv Integração 10h45 (30), Catedral Vigília de Adoração - 9 Paróquias participaram, Missa sinal de unidade da Eucaristia presidida pelo Bispo e presença de 11 padres (1 ausente), solene procissão e bênção pelo ANO DA FÉ e com o Cristo Eucarístico, Deus é Amor.
Atendimento na Cúria: Padres (09), Leigos (17) e Religiosas (02), foram abençoados os participantes de 3 ônibus de Romeiros a Aparecida-SP.

CORPUS CHRISTI E HORA SANTA

Celebrar a Eucaristia e reafirmar o dom da Fé. Movidos por esses propósitos a Forania São José, em Ituiutaba que compõe 10 Paróquias com 12 Padres em uma solene celebração de Corpus Christi, na Catedral de São José, festa instituída pelo Papa Urbano IV em 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, além de tradicional é uma "Festa de Guarda", em que para os católicos faz-se obrigatório participar da Santa Missa neste dia. Celebrado este
momento de fé percorremos em procissão algumas ruas da cidade, onde todos lembraram a caminhada, a peregrinação do povo de Deus em busca da Terra Prometida.  


E por ocasião do Ano da Fé, o Papa Francisco convocou toda a Igreja para um gesto único: que no domingo, 2 de junho, na Catedral de São José, e em todas as paróquias da Diocese unidos a todos os católicos do mundo inteiro, num gesto

unânime de comunhão com o Senhor, e também de comunhão com o Vigário de Cristo, com todo o Colégio Episcopal e com toda a Igreja espalhada por toda a terra, em uma hora de adoração a Jesus Sacramentado.