MENU

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

RENOVAR AS PARÓQUIAS

 A nossa Diocese está empenhada no projeto da CNBB, cuja última Assembleia Geral em Aparecida teve como tema principal dos debates «Comunidade de Comunidades: uma nova Paróquia»
    
A expressão «Comunidade de Comunidades» é mais antiga, mas ganhou força no Documento de Aparecida, em 2007 (DAp, 309), para descrever o que é a Igreja. Em 2011 os Bispos do Brasil incluíram essa expressão como uma das urgências da ação evangelizadora, expressas nas Diretrizes Gerais para o Brasil.
    Nesta Assembleia, os Bispos juntaram a essa expressão «Comunidade de Comunidades» uma outra ideia, a de renovar as Paróquias para que se tornem mais adequadas à realidade do mundo de hoje.
    As Paróquias existem desde os primeiros séculos do cristianismo e persistem até hoje como ponto de referência mais próximo e visível para o povo cristão encontrar-se com Deus.
    A Paróquia hoje, principalmente nos grandes centros não descreve mais aquela ideia, onde a maioria identifica a Paróquia com um determinado território que tem como centro a Igreja Paroquial, e as Comunidades que fazem parte dela são as Capelas espalhadas por esse território. Os fiéis que residem nesse território fazem parte da mesma Paróquia, e ali buscam os serviços religiosos de que necessitam, sobretudo a Missa dominical, as orações, e os sacramentos em geral. Essa instituição paroquial, encontra grandes dificuldades diante da vida urbana e as grandes mudanças na cultura atual.
    A Diocese de Ituiutaba conta com 34 Paróquias e 1 Área Pastoral, das quais 10 Paróquias estão na cidade sede da Diocese e 6 delas tiveram mudanças de Párocos neste ano de 2013.
    Renovar a Paróquia é missão de todos.
    O Papa Francisco afirmou: «Uma Igreja que se fecha em si mesma, mais cedo ou mais tarde adoece na atmosfera viciada de seu confinamento. Também é verdade que uma Igreja que sai, pode acontecer o mesmo que a uma pessoa quando vai para a rua: sofrer um acidente. Diante desta alternativa, quero lhes dizer, francamente, que prefiro mil vezes uma Igreja acidentada a uma Igreja doente.»
 O estudo sobre a renovação no documento da CNBB nº 104 (estudos).

 
Dom Francisco Carlos da Silva
Bispo Diocesano

Nenhum comentário:

Postar um comentário